19.12.2021

Como compreender a vontade de Deus?

Jesus

Deus é soberano e nada pode escapar da sua vontade. Devemos compreender que a vontade Dele é a causa última de todo acontecimento e, se não fosse assim, ele não seria soberano, pois haveria uma outra força motivadora das ações que nos ocorrem.

A Bíblia nos traz muitas passagens falando sobre as vontades de Deus. Em Apocalipse 4:11, lemos que todas as coisas foram criadas pela vontade de Deus:

“Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas”

Ele é quem tem domínio sobre o reino dos homens, então entende-se que a nossa evolução e a contínua existência de tudo que há se deve à vontade Dele. Em Tiago 4:13-15, a Bíblia nos ensina que jamais devemos pensar que temos qualquer controle absoluto sobre o que devemos ou não fazer e que esse discernimento e decisões de direção está nas mão de Deus, por isso devemos dizer que “se o senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo”.

Em nossas orações é comum pedirmos a ajuda de Deus para conseguir aquele emprego que nos candidatamos à vaga, ou que Ele nos ajude a conseguir reatar um relacionamento, conseguir comprar o carro dos sonhos, etc. São infinitas as listas de desejos que Ele deve receber nas orações. Não estamos querendo dizer que você não deve pedir ajuda de Deus para alcançar seu desejo e objetivos, mas entenda que uma vez que tudo acontece segundo a Sua vontade, assim também será com os seus anseios e se for da vontade de Deus para você, sem dúvida acontecerá. 

Compreender o tempo de Deus também é um caminho para ajudar a compreendermos a Sua vontade. O tempo do Pai não é o mesmo que o tempo do homem. Movido pela ansiedade de querermos tudo para ontem e viver tudo com muita intensidade, costumamos não entender a emergência que Deus usa para com nossos desejos. Normalmente esse sentimento aflora quando nos deparamos com uma pessoa muito jovem perdendo a vida, nos perguntamos “como trabalha a vontade?”, “Qual é a resposta para isso?”. É preciso muita maturidade espiritual e tempo para entendermos a motivação de tais acontecimentos, isso porque é difícil compreender as vontades encobertas de Deus.

No livro de Deuteronômio, lemos: “As coisas encobertas pertencem ao Senhor, o nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta Lei” (Deuteronômio 29:29).

As tais “coisas encobertas” são vontades secretas, ou também chamadas de “vontade decretiva” de Deus, inseridas no modo como Ele governa o reino dos homens que impactam em eventos futuros. Por isso não devemos nos desesperar em tentar entender ou descobrir a vontade de Deus, pois estas pertencem apenas ao Senhor e só ele saberá a resposta. Por isso, desconfie seriamente de pessoas ou crenças que alegam saber do futuro ou de como os fatos ocorreram em sua vida ou na humanidade.

Mas acalme o coração, você deve estar imaginando “já que é assim, então não devo tentar entender e nunca vamos ter respostas de nada”. Deus não quer que levemos uma vida assim, sem expectativas e propósito, muito menos sem compreender a vontade Dele para nosso destino, porém Ele deseja que confiemos em Sua vontade de que nada fará para nosso mal. De modo extraordinário, Ele nos revela alguns de Seus decretos secretos e, um dos caminhos para alcançarmos esse conhecimento é através da oração e meditação na Palavra. Vale destacar que não somos nós quem descobrimos a Sua vontade, mas Ele que decide remover o véu e revelar-se.

 

A existência do mal e a vontade de Deus

Deus nos deu o livre arbítrio para fazer escolhas; isso não quer dizer que temos o poder de mudar a vontade decretiva de Deus. Conforme citamos mais acima, vontade decretiva é aquela que guarda Suas vontades ocultas para o nosso futuro, a vontade que decreta os nossos próximos passos. A nossa liberdade de escolher não impede o trabalho da vontade Dele pois esta é contínua e nunca cessa, contudo, isso não significa atribuir a Deus a responsabilidade por nossas escolhas ruins, ou por nossa decisão de pecar. Deus não apoia o pecado, Ele não se satisfaz com práticas ruins que escolhemos cometer ou aderir em nossas vidas, mas Ele poderá usar destas escolhas ruins para cumprir o propósito Dele para com a sua vida. O pecado sempre nos leva ao sofrimento em algum grau e, é nesse sofrimento que Deus opera, quando permitimos que Ele se aproxime e nos instrua, utiliza disso para aperfeiçoar o nosso caráter e amadurecer a nossa fé. 

Concluímos que não se compreende a vontade de Deus, apenas recebemos entendimento daquilo que o próprio Deus escolhe revelar-nos se estivermos abertos para isso. Estar aberto significa assumir que Ele é responsável por todos eventos que ocorrem e, devemos confiar e entregar nossas vidas para que seja feita a Sua vontade.